12 de julho: Dia do Engenheiro Florestal

Dia 12 de julho é comemorado o Dia do Engenheiro Florestal. A escolha da data é em homenagem ao monge italiano São João Gualberto, falecido neste dia no ano de 1073. O monge é reconhecido por sua dedicação à preservação das florestas e ao cultivo de bosques e, assim, foi proclamado o protetor dos engenheiros florestais.

A profissão é regulamentada pela lei nº 5.194, de 1966, que oficializa o exercício das profissões de engenheiro, arquiteto e engenheiro agrônomo. O CONFEA (Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) é o órgão que fiscaliza o exercício da profissão, os campos de atuação e suas competências.

Por ser um país conhecido pela vasta área verde, o Brasil apresenta um amplo mercado de trabalho para o engenheiro florestal. No setor público, as oportunidades mais atrativas estão nos órgãos de controle e regulação ambiental, na administração de parques e reservas ecológicas, além de uma demanda mais recente na manutenção da arborização urbana e gestão de viveiros florestais. As instituições de ensino e de pesquisa científica também geram muitos postos de trabalho. Já no setor privado, as vagas estão concentradas nas indústrias de madeira, papel e celulose, nas de carvão vegetal, metalúrgicas e fábrica de móveis.

Formação profissional

O bacharelado em engenharia florestal tem duração de 5 anos e oferece um conteúdo fortemente focado nas teorias relacionadas ao tema das florestas: botânica, ecossistemas, fisiologia vegetal, biologia celular e tecnologia de processamento de madeira.

Disciplinas relacionadas às ciências econômicas e sociais também são lecionadas, habilitando o aluno a gerir recursos naturais de maneira sustentável. Outras habilidades desenvolvidas estão relacionadas a produção sustentável, e manejo e conservação de recursos hídricos e florestais.

São João Gualberto

João Gualberto nasceu no ano de 995 em Florença. Foi educado num dos castelos dos pais, nobres e cristãos. A mãe cuidou do ensino no seguimento de Cristo. O pai, os fez perfeitos Cavaleiros, hábeis nas palavras e nas armas, para administrar e defender o patrimônio e a honra da família.

Mas, a harmonia acabou quando o primogênito da família foi assassinado. Buscando vingar o irmão, João Gualberto vivia a procura do homicida. Na sexta-feira Santa de 1028, ele o encontrou vagando solitário, numa das estradas desertas da cidade. João Gualberto empunhou imediatamente sua espada, mas o adversário, desarmado, abriu os braços e caiu de joelhos implorando perdão e clemência em nome de Jesus.

Tocado pelo clamor do assassino, jogou a espada, desceu do cavalo e abraçou fraternalmente o inimigo. No mesmo instante foi à igreja de São Miniato, onde aos pés do altar, ajoelhou-se diante do crucifixo de Jesus.

João Gualberto tornou-se um humilde monge, exemplar na disciplina às Regras, no estudo, na oração, na penitência e na caridade. Por causa de divergências internas, João Gualberto resolveu fundar o próprio mosteiro, segundo as regras de são Bento.

Seguindo com rigor a disciplina e austeridade às regras da ordem, João Gualberto implantou um centro tão avançado e respeitado de estudos, que a própria Igreja enviava para lá seus padres e bispos para aprofundarem seus conhecimentos.

Morreu no dia 12 de julho de 1073, na Úmbria. São João Gualberto é o Santo Padroeiro da Guarda e Engenharia Florestal. Escolheu-se esta data e protetor, pois São João Gualberto apresentou uma trajetória de vida que o aproximou das florestas, onde desenvolveu o uso sustentável e a proteção delas, sendo o pioneiro a desenvolver o aproveitamento racional e a preservação dos recursos florestais, seguindo o lema “conservar e saber usar”.

Com informações dos sites:
http://www.catho.com.br/carreira-sucesso/noticias/engenheiro-florestal-voce-sabe-o-que-ele-faz
http://www.faef.edu.br/site/a/56-12-de-julho-dia-do-engenheiro-florestal.html
http://www.catequisar.com.br/texto/santos/indice/jul/snt_012.htm

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *