Crescimento das árvores

O crescimento das árvores ocorre em dois sentidos: altura e diâmetro.

Na ponta dos ramos e também na ponta das raízes, há um tecido vivo denominado meristema: um tipo especial de células que se multiplicam estimuladas por hormônios vegetais (entre eles a auxina e a giberelina). Os hormônios são transportados para os meristemas e estes dividem-se originando novas folhas e galhos, na parte aérea da planta e, sob a terra, expandem as raizes. É através deste processo que a árvore e qualquer outra planta cresce em altura e, por vezes, chega a alcançar mais de cem metros. O crescimento em altura é denominado crescimento primário ou crescimento apical.

Para crescer em diâmetro, é necessário um outro sistema. Ao redor do tronco das árvores, há uma fina camada de células, na parte interna da casca, entre o floema e o xilema, conhecida por câmbio vascular.

O câmbio também é um tecido meristemático, que sob a ação de hormônios é estimulado a dividir-se em camadas tanto em direção à casca como em direção ao centro do tronco. As células que são formadas em direção a casca irão compor o floema e as que estão em direção ao interior do caule irão compor o xilema. Isto faz com que, em geral, a cada ano uma nova camada de células seja depositada ao redor do tronco, aumentando seu diâmetro. Se considerarmos que a produção de células dá-se no perímetro do caule, a árvore aumenta em diâmetro “de fora para dentro”. Este é o crescimento secundário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *